Avançar para o conteúdo
Vaga Para (04) Oficiais de Entrada de Dados – Gestão de Casos

Vaga Para (04) Oficiais de Entrada de Dados – Gestão de Casos

    Site Comunidade Moçambicana de Ajuda (CMA)

    Alerta: Faça parte do nosso Grupo no WhatsApp Clique Aqui

    A Comunidade Moçambicana de Ajuda (CMA) pretende recrutar para o seu quadro de pessoal quatro (04) Oficiais de Entrada de Dados – Gestão de Casos, para Matola (3) e Marracuene (1).

    Contexto

    A CMA está a recrutar candidatos qualificados para o projecto de COV (FILOVC) financiado por USAID com uma duração de 5 anos (2022-2027). A CMA irá implementar o projecto na Província de Maputo, concretamente nos seguintes distritos: Matola e Marracuene, o projecto será liderado pela OCSIDA em consórcio com outras organizações locais e a FHI 360 (parceiro de assistência técnica). O Oficial de Entrada de Dados – Gestão de Casos estará subordinado ao Oficial de M&A.

    Tarefas e Responsabilidades

    • Contribuir na elaboração e implementação dos planos de M&A do projecto;
    • Contribuir na identificação de necessidades de elaboração ou ajustamento de instrumentos de gestão de dados;
    • Assegurar o bom uso dos instrumentos de M&A pelos Supervisores, gestores de caso e facilitadores;
    • Apoiar a organização na garantia da implementação do sistema de M&A;
      Providenciar apoio técnico e supervisão aos supervisores, gestores de caso líder e gestores de casos na implementação de actividades de recolha e encaminhamento de dados;
    • Realizar visitas de apoio técnico (AT) no campo aos supervisores, gestores de casos e facilitadores;
    • Participar em encontros semanais dos gestores de casos sempre que possível;
    • Assegurar o controlo da quantidade de fichas que cada gestor de caso/supervisor entrega;
    • Assegurar que todas fichas são recolhidas dentro dos prazos estabelecidos;
    • Assegurar que as fichas sejam devidamente revistas de acordo com o fluxo de dados estabelecido, antes de introdução na base de dados;
    • Trabalhar em estreita coordenação com os supervisores na correção das inconsistências de dados;
    • Monitorar o nível de prestação de serviços aos beneficiarios e alertar ao supervisor sempre que necessário
    • Fazer o lançamento dos dados mensais segundo os prazos estabelecidos no âmbito do Projecto;
    • Criar um mecanismo de controlo de fichas lançadas e não lançadas;
    • Elaborar relatórios de dados, incluindo tabelas e gráficos, e providenciar sempre que necessário a equipa técnica;
    • Participar dos encontros de análise de dados ao nível do distrito;
    • Realizar avaliação de qualidade de dados (DQA);
    • Assegurar que os supervisores arquivem todas as fichas após o lançamento na base de dados, de acordo com o modelo de arquivo estabelecido;
    • Promover encontros para discussão de casos ou problemas pontuais relacionados com qualidade de dados;
    • Participar nos encontros relacionados a M&A do projecto, sempre que for pertinente;
    • Reportar todos os casos de inobservância dos procedimentos à Coordenação da organização/projecto;
    • Apoiar na preparação da documentação das lições aprendidas e melhores práticas em monitoria e avaliação, de acordo com as directrizes da USAID e do PEPFAR;
    • Manter uma relação profissional e respeitosa com os colegas e parceiros; ❖ Realizar outras tarefas que lhe forem atribuídas.

    Requisitos

    • Mínimo 12ª Classe do sistema nacional de educação ou equivalente. Licenciatura em Ciências Sociais, Estatística, Comunicação ou outras áreas relevantes será uma vantagem;
    • Experiência de trabalho com Organizações de Base Comunitária;
    • Experiência de supervisão de equipas;
    • Experiência no uso de base de dados, e domínio de pacotes básicos do Microsoft Office (Excel, Word e PowerPoint), o conhecimento do SPSS e DHS2 será uma vantagem;
    • Experiência de trabalho em projectos financiados pelo PEPFAR/USAID será um factor preferencial;
    • Experiência de pelo menos dois (2) anos na área de estatística ou M&A em organizações similares com maior destaque para as áreas de HIV e SIDA, Protecção social e desenvolvimento comunitário;
    • Boa capacidade de comunicação em língua Portuguesa;
    • Habilidades de transmitir conhecimentos e capacidades às pessoas com nível de educação diversificada;
    • Demonstrada Capacidade de trabalhar com pouca supervisão;
    • Demonstrada Capacidade de trabalhar sob pressão fora de horas incluindo alguns finais de semanas e ou feriados.

    Exigências

    • Carta de Motivação (1 página);
    • Curriculum Vitae (máximo de 3 páginas), e os dados de contacto;
    • Pelo menos duas Referências Profissionais.

    Nota: Se não forem encontrados candidatos adequados, a vaga permanecerá aberta até ser preenchida. Indique no assunto a vaga a concorrer e o distrito para qual se candidata.

    Sobre a Empresa

    A Comunidade Moçambicana de Ajuda (CMA), uma organização de âmbito nacional sem fins lucrativos, registada a 16 de Outubro de 1997, tem como objectivo promover o desenvolvimento sustentável das comunidades desfavorecidas e crianças Orfãs e Vulneráveis através de actividades de geração de renda, formação de jovens, mulheres, viúvas, e população vulnerável, de modo a elevar o seu nível de vida e auto-sustento.

    Para se candidatar a esta vaga, por favor visite cma.org.mz.

    Siga Nossa Pagina de Facebook Clicando  [Aqui]